noticias


17/03/2015 -
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
VW do Brasil celebra 45 anos de exportações.
 
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

 

 

VW do Brasil completou 45 anos deexportações. Segundo a montadora, as 13 primeiras unidades, dos modelos Kombi e Variant, foram embarcadas para o México e países da América do Sul. O envio de veículos montados passa de 3,3 milhões de unidades, para 147 países, além de kits CKD, com os automóveis desmontados. 

"A exportação é vital para a empresa e para o setor. É, sem dúvida, uma alternativa importante às variações do mercado interno", afirma o presidente da Volkswagen do Brasil, David Powels. Argentina e México são os principais destinos. Segundo levantamento do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Volkswagen do Brasil foi a 32ª maior empresa exportadora do País em 2014, considerando todos os setores, superando US$ 1,14 bilhão. Desde 1998, período divulgado pelo MDIC, a VW marca exportou US$ 19,1 bilhões. Em 2014 foi a maior exportadora de veículos, com 92.553 unidades. 

A fábrica VW Anchieta foi a primeira da marca fora da Alemanha e a instalação próxima ao porto de Santos tinha em vista as exportações. Hoje a empresa também utiliza os portos de São Sebastião (SP) e Paranaguá (PR) para embarcar os veículos, por causa da proximidade com as fábricas localizadas em São Bernardo do Campo, Taubaté (SP) e São José dos Pinhais (PR). Segundo a montadora, de 1970 a 1972 o volume exportado chegou a 7,2 mil unidades.

Um dos maiores contratos externos ocorreu com o Iraque, para onde foram enviadas 170 mil unidades do Passat, de 1983 a 1988. Outro grande contrato ocorreu em 1987, com o Projeto 99 (Voyage e Parati) para o mercado norte-americano (Canadá e Estados Unidos). Foram dois anos de exportação da Parati, com 25 mil unidades, e sete anos do Voyage, com 202.062 carros enviados. Os dois modelos receberam várias modificações em relação aos automóveis vendidos no Brasil. 

Em 2000, após o sucesso das exportações do Voyage e da Parati, a VW do Brasil anunciou a volta ao mercado norte-americano (Canadá e EUA), com as exportações do Golf. Foram 137,9 mil carros mandados aos Estados Unidos de 2000 a 2005 e 75 mil para o Canadá entre 2000 e 2009. 

O Gol com motor a diesel foi vendido entre 2000 e 2008 para Argentina (14,5 mil), Uruguai (1,2 mil) e Paraguai (898 unidades). Em junho de 2004 a VW comemorou 1,5 milhão de unidades exportadas. O veículo que representou o marco foi um Gol destinado à Venezuela. 

Entre 2004 e 2005, o Gol foi exportado para a Rússia. Ucrânia, Turcomenistão e Azerbaijão receberam o Gol entre 2005 e 2006. O teve adaptações por causa da grande diferença climática em relação ao Brasil. 

China e Irã chegaram a fabricar o Gol em CKD a partir de peças exportadas do Brasil. O Gol foi o carro mais exportado a partir do Brasil. Totalizou em 2014 mais de 1,2 milhão de unidades enviadas para 66 países das Américas, África, Ásia, Oriente Médio e Europa. O modelo é também o mais produzido da história da indústria nacional, com mais de 7,5 milhões de unidades feitas no Brasil. 

O hatch começou a ser exportado já no ano de seu lançamento, 1980, quando foram enviadas 49 unidades ao Paraguai e à Nigéria. Atualmente, os principais mercados do Gol no exterior são o México e a Argentina, onde o carro brasileiro as vendas por 12 anos seguidos. 

O Gol para exportação passa em regra por adaptações para se adequar às exigências legais de cada país. Para poder ser exportado à Rússia, passou por testes de resistência a fim de suportar temperaturas que podem chegar a 40 graus célsius negativos. Componentes elétricos, guarnições, motor e câmbio passaram por avaliações rigorosas. Já o Voyage é o derivado do Gol de maior aceitação em outros mercados e já teve 381,8 mil unidades embarcadas, para 58 países, desde seu lançamento, em 1981. 

Em 1983 teve início uma das primeiras grandes operações de exportação da Volkswagen do Brasil, a do Passat para o mercado iraquiano. Até 1988 foram enviadas aproximadamente 170 mil unidades. As adaptações visavam à substituição de itens sensíveis às altas temperaturas, adaptação das suspensões e modificações do revestimento interno. 

O Fox, montado em São José dos Pinhais, foi exportado para a Europa de 2005 a 2011. A operação levou para lá 305,7 mil carros. A VW vende ao mercado externo até mesmo carros bicombustíveis. Em 2009 o Paraguai adquiria os primeiros Gol Total Flex. Hoje são vendidos no país vizinho também Voyage, Saveiro, Fox e CrossFox.

FONTE: AB



Comentários


Nenhum comentário no momento!



Cadastre o seu comentário
 
Titulo:
Nome:
Email:
 
Comentário

(0 / 1000)
Receber comentários por email:
 
 



Voltar

 


RH AUTOMOTIVE
contato@rhautomotive.com.br (11) 9-9208-9621 (WhatsApp) | (11) 3777-3906
RH AUTOMOTIVE - todos os direitos reservados | Desenvolvimento